Semana passada ouvi duas pessoas na recepção conversando sobre como gráficos de pizza nunca deveriam ser usados. Um deles estava mostrando ao outro o que acredito que fosse o gráfico pelo telefone, e disse: “Tem 4 gráficos na mesma página e eu não consigo nem relacioná-los!”.

Foi aí que eu entendi: o criador da visualização foi mais uma vítima da má utilização dos gráficos de pizza.

Não é tão incomum ver pessoas usando gráficos de pizza para comparar dados, o que é um dos maiores erros que existem, já que a pessoa que está vendo a visualização precisa se esforçar para digerir e traduzir a informação.

Mas então, qual o bom momento?

Quando você precisa exibir porcentagens ou proporções relativas de um total.

E é isso. Existe praticamente só uma aplicação e para este uso específico o gráfico de pizza é o melhor. Para todas as outras situações onde você acha que ele cairia bem, gráficos de barra fazem o mesmo trabalho, só que melhor. Pode confiar.

Ainda assim, existem algumas coisas que precisam ser consideradas antes de cortar a pizza:

  • Gráficos de pizza são melhores utilizados quando você já possui outras visualizações ou um relatório lhes suportando.
  • Limite as divisões da pizza entre 4 e 6. Mais que isso, é melhor usar um gráfico de barras.

O exemplo abaixo mostra como não usar o gráfico de pizza. Esta visualização tenta comparar o lucro entre os departamentos neste quadrimestre.

O dashboard poderia inclusive enganar quem vê, imaginando que a empresa fez mais vendas de Hardware em Fevereiro do que em Janeiro, o que não é verdade.

E aqui um exemplo de um gráfico de pizza que dá suporte ao relatório principal com uma rápida visualização da propoção de vendas.

Espero que o criador do relatório mencionado na conversa de semana passada acabe lendo este post.

Deixe uma resposta